Agro-Admin

Cuidados com a piscina no inverno

O inverno chegou e com ele uma série de cuidados que precisam ser tomados quando falamos em tratar bem a água da sua piscina. Por mais que a água pareça estar azul, muitos micro-organismos que podem fazer mal à saúde podem estar infestando a água da sua piscina, que normalmente deixa de receber os tratamentos adequados. Por isso, a Agroshop Hortolândia traz algumas dicas de cuidados com a piscina no inverno. Dê atenção para a as dicas e siga todas elas, afinal, a sua piscina deve estar limpa e com a água tratada todos os dias do ano, para que você possa usufruir bem dela no verão. Tratar bem a água da sua piscina também ajuda a prevenir a não reprodução das larvas do Aedes Aegypti, mosquito transmissor da Dengue, do Zika Vírus e da Chicungunya. O tratamento da piscina leva em conta basicamente três fatores: a remoção das sujeiras, o bom funcionamento do filtro e o uso correto dos produtos químicos. São dois os tipos de tratamento para manter a água sempre limpa e saudável: o químico e o físico. TRATAMENTO QUÍMICO – Meça a alcalinidade total e verifique se ela está entre 80 e 120 ppm (pelo menos uma vez por mês) No entanto, no caso do cloro, é será recomendado aplicar uma quantidade equivalente ao tratamento de choque – com produtos próprios, utilize 30 ppm em piscinas com paredes de gesso e 10 ppm em piscinas de plástico ou vinil. Adicione também uma quantidade considerável de algicida. Abaixo apresentamos uma tabela de referência de produtos da HTH. Você pode ver mais detalhes no link https://hth.com.br/como-tratar TRATAMENTO FÍSICO – Filtre a água todos os dias -Mantenha o filtro em perfeita ordem e assegure-se que ele fique ligado o tempo suficiente. O filtro deve ser mantido ligado de 6h a 8h diárias. A filtração se faz necessária porque as piscinas estão sujeitas a uma constante contaminação por materiais estranhos trazidos por banhistas, ventos, insetos e artigos usados na água ou nas proximidades da piscina – Limpe o pré-filtro uma vez por semana A importância de limpar o pré-filtro é reter as sujeiras mais grossas (folhas, insetos, etc), impedindo que essas sujeiras passem para o cabeçote ou para a areia do filtro – Limpe a área ao redor da piscina (quando perceber necessário) Isso ajuda a não cair sujeira dentro da piscina. Se a sua piscina estiver coberta com uma capa, cuide na hora de tirá-la, para que a água parada não se misture à água da piscina e para que outros resíduos de sujeira não entrem na água Escove bem para retirar todas as sujeiras agarradas nas paredes, bordas e fundo. NÃO ESVAZIE A PISCINA NO INVERNO Remover a água da piscina não é aconselhável, independentemente do tipo de revestimento. Pois, isso pode acarretar problemas na estrutura, como pintura descascada ATENTE PARA OS PROBLEMAS COMUNS Se a água estiver verde (algas) Verifique a alcalinidade do PH e corrija se necessário. Aplique uma supercloração com cloro desejado e deixe recirculando por 1 hora. Depois aplique um decantador ou algicida de choque na dosagem de 7 a 10 ml/m³ e deixe recircular por duas horas. Se a água estiver “colorida” (metais) Verifique o cloro (ele precisa estar abaixo de 1ppm). Aplique o controlador de metais na dosagem de 15 a 50 g/m³, deixe filtrar por 8 horas e depois retrolavar o filtro. Repita o processo de filtração por 4 dias. Nestes dias, não podem ser adicionados outros produtos na piscina. Depois deste período, volte ao tratamento habitual. Se a água estiver turva (leitosa) Característica de material em suspensão ou pH e alcalinidade altos. No primeiro caso, basta uma decantação (com Sulfato de Alumínio ou Floc Plus 2 em 1). Se for desajuste do pH ou alcalinidade, corrigir com o produto indicado e depois filtrar com o auxílio de um clarificante ou floculante. Aqui na Agroshop Hortolândia, você encontra todos os produtos necessários, dos melhores fabricantes do mercado para tratar e deixar sua piscina limpa o ano inteiro.

Cuidados com a piscina no inverno Read More »

Tá nervoso? Vá pescar! Conheça 5 benefícios da pescaria amadora

Com a correria do dia a dia proporcionada pela vida exaustiva no meio urbano, nada melhor que se distrair um pouco e espairecer as ideias na natureza, não é mesmo? E para isso, muitas pessoas buscam na pescaria amadora uma fonte de lazer e diversão. Seja com a família, seja com os amigos, poucas coisas são mais relaxantes que um final de semana longe de onde se está acostumado, com gente querida, cervejas e anzol. A pescaria é, inclusive, recomendada por muitos médicos para as pessoas que sofrem com uma rotina pesada e estressante, sendo apontada como uma forma de lazer muito saudável para o corpo e a mente. Afinal, já diz o ditado: “Tá nervoso? Vai pescar!”. Então prepare o equipamento de pesca e confira com a gente os 5 benefícios que um bom dia de pescaria pode trazer! Diminui o estresse e proporciona tranquilidade Estudos médicos comprovam que o ato de pescar como um todo, desde a metódica preparação dos equipamentos até o esperado momento de pegar um peixe, auxilia na diminuição do estresse e proporciona um momento de tranquilidade e bem-estar. Isso porque a atividade pesqueira exige calma e muita atenção. São detalhes mínimos que fazem a diferença: a isca certa, o modo ideal de jogar a vara e, o mais importante, a paciência necessária até a hora certa de o peixe fisgar o anzol. Toda essa atmosfera contribui para um bom equilíbrio físico e paz interior. A pesca ajuda a refletir sobre a vida, a relaxar e a esquecer dos problemas do cotidiano por uns momentos. É uma alternativa divertida à terapia, em que se é possível passar um tempo com amigos e família, rindo e compartilhando histórias. Desenvolve o espírito esportivo A pescaria amadora também é conhecida como pescaria esportiva. É o famoso “pesca e solta”. Ela recebe esse nome porque o peixe, depois de pego, deve ser devolvido à água, pois tudo não passa de um passatempo. Os pescadores desenvolvem dessa forma a índole pessoal e o sentimento de que todos ali estão se divertindo também. São vários os que fazem apostas entre si, competindo sobre quem pega mais peixes em um determinado intervalo de tempo. Isso estimula não só espírito esportivo, como também o próprio respeito ao meio ambiente, ao contribuir com a manutenção do ecossistema. A competição para ver quem pesca o maior peixe exige que se desenvolva qualidades fundamentais para qualquer pessoa, como a concentração e o pensamento rápido. Claro que existe um limite de desafio sadio – o pescador deve se divertir e aprimorar habilidades que serão úteis para outras áreas da vida. Melhorar e adquirir talentos é excelente para a autoestima. Incentiva o contato com a natureza Muitas pessoas estão acostumadas à “selva de pedra” e não são incentivadas a conhecer a natureza mais de perto e o bem-estar que ela proporciona. Com a pescaria amadora, essa distância é encurtada, não só para os pescadores, mas para a família que também busca lazer e tranquilidade nos lugares mais incríveis. Os peixes, a água, as árvores ao redor… Todo o meio ambiente à volta cria um clima de serenidade e paz, abrindo portas para novas experiências durante a atividade e mostrando que a praticidade da vida na cidade pode ser deixada de lado ao se aproveitar de momentos especiais como esse. Além da tranquilidade que o contato com a natureza traz, há uma série de vitaminas e nutrientes em locais distantes das cidades. Lugares arborizados e próximos à água possuem maior oxigenação, e o ar fresco fortalece o sistema imunológico e melhora a capacidade de pensamento ao oxigenar o cérebro. Ambiente de pescaria também é bom para o corpo! Permite fazer novas amizades Nada melhor do que ir pescar e levar a família e os amigos. Além disso, o ambiente esportivo proporciona ótimas chances para você conhecer novas pessoas no local e fazer amizades, compartilhando experiências e aproveitando o momento para pescar em equipe. O contato com indivíduos diferentes é ótimo para conhecer outras ideias e evoluir como ser humano, pois amizades diversas geram distintos pontos de vista. Ademais, ampliam sua rede de contatos, seja para lazer seja para negócios, nunca se sabe onde estão as oportunidades. Afinal, uma competição amigável, além de ser saudável, é excelente para aprimorar suas habilidades a partir dos conselhos de amigos pescadores. Estudos comprovam que as amizades ligadas a momentos de lazer melhoram o humor e a felicidade da pessoa. Assim, o senso de pertencimento a um grupo de amigos é excelente para a saúde mental, e os laços de amizade podem ser fortalecidos em dias de descontração, como um final de semana de pescaria, por exemplo. Estimula a conscientização pela vida animal O ato de “pescar e soltar” é importante tanto para o espírito esportivo, como para a conscientização sobre a vida animal, pois, quando o peixe é devolvido ao seu habitat, ele terá oportunidade de se reproduzir e gerar mais filhotes, dando continuidade à vida aquática e impedindo que a espécie sofra risco de desaparecer naquele meio. Se programe para a época mais adequada e evite a Piracema – período de reprodução de peixes, que abrange todo o território nacional, durante outubro a fevereiro do ano seguinte. A prática é proibida por lei desde 1998. Isso estimula os pescadores a pensarem nas consequências futuras e agirem de forma consciente, abatendo apenas pequenas quantidades para consumo próprio e dando continuidade à atividade pesqueira para as próximas gerações. A consciência de que tudo tem um futuro, no caso a pescaria, deve ser estendida para todas as coisas da vida, como as relações familiares e amizades. Portanto, pensar na sustentabilidade dos peixes é preservar momentos de alegria para as pessoas que ainda nascerão. Cabe ressaltar que para exercer a prática da pescaria amadora em qualquer lugar, é obrigatória uma licença individual, caso contrário, o pescador terá que pagar multas de R$ 500,00 a R$ 2000,00. Há duas modalidades de licença: A – desembarcada e B – embarcada, no entanto, a B vale pelas duas. A provisória tem validade de 30 dias, enquanto que a normal dura um ano e precisa ser renovada. O documento é feito via internet. Após o preenchimento do formulário, é gerado um boleto, e, somente 10 dias depois do pagamento

Tá nervoso? Vá pescar! Conheça 5 benefícios da pescaria amadora Read More »

Nossos cães precisam de atenção especial durante o verão. Confira algumas dicas!

Os cães têm maior dificuldade na perda de calor. A tosa, o horário de passeio e oferecer gelo pode ajudar o seu pet. Com as temperaturas altas nossos cães podem sofrer com hipertermia ou queimaduras, por esse motivo precisamos ficar atentos aos nossos cães. Os cães possuem poucas glândulas sudoríparas, e por esse motivo quase não transpiram. Eles diminuem o calor por contato, deitando em superfícies mais frias, ou pela respiração. Mas esses nem sempre conseguem amenizar o calor dessa forma, então cabe ao dono tomar atitudes que proporcionem esse conforto ao animal. Existem diversos relatos de cães que morreram devido ao calor, porém os casos mais comuns são de queimaduras nas patas dos cães devido ao passeio em horário em que o solo está com a temperatura muito elevada. Para evitar que isso aconteça, nessa época do ano o ideal é passear com os cães bem cedo ou no final do dia, uma dica de diversos veterinários é a seguinte: fique descalço e pise onde o seu cão irá andar, caso a temperatura esteja agradável aos seus pés, também estarão adequadas ao seu cão. Mas os cuidados vão além, dentro de casa também é importante ficar atento. É bom que a pelagem do cão não esteja muito alta, se for possível, faça uma tosa. Se for dar banho, opte por água fria e deixe que ele se seque naturalmente, sem o uso de secadores, pois isso ajuda a refrescar. Coloque cubos de gelo na água dos cães ou ofereça frutas congeladas, isso ajudo muito a baixar a temperatura do pet.

Nossos cães precisam de atenção especial durante o verão. Confira algumas dicas! Read More »

Fale Conosco
Agroshop Hortolândia
Olá, podemos te ajudar?